5 coisas que os hippies não querem que você saiba sobre Woodstock

Há quarenta anos milhares de pessoas se reuniram por três dias para celebrar a paz, o amor e deixar as suas partes de fora em um lugar chamado Woodstock. Para a maioria de nós, esses dias só existiram em sonhos. Porém, mesmo que não estivéssemos presente, muito é dito a nós sobre o concerto. Mas será que tudo o que dizem é confiável? Bem, é o que veremos.

• Um festival sobre paz e amor?

Por volta do fim dos anos 60, uma publicação surgiu no The New York Times: “Homem com capital ilimitado procura algo legitimo e interessante em que investir.”

Isso foi antes da internet ser criada, é claro. Portando os interessados não tinham a destreza de idealizar que talvez essa não fosse uma boa idéia (No caso de alguém mal intencionado estar tentando fazer coisas mal intencionadas). Com isso, o executivo Artie Kornfeld e o empresário hippie Michael Lang resolveram contatar o tal empresário e lhe oferecer a ideia de abrir um estúdio em Woodstock, Nova York. Porém, a idéia não lhe agradou, e para não perder o ritmo, decidiram fazer um festival de arte e música, que logo caiu na graça do empresário.

Na época, os ingressos custaram, na pré-venda, $18, cerca de $105 nos dias atuais (mais ou menos R$ 230!), e na hora $24 (façam suas contas).

• Uma mentirinha de vez em quando não faz mal

A ideia estava pronta. O que faltava agora era o local para o festival. Pois nenhum dos grandes donos de terras de Nova York queria milhares de pessoas drogadas, loucas e nuas em sua propriedade. Foi então que os produtores resolveram dizer que na verdade seriam apenas 50.000 pessoas, no máximo 70.000. Mas nem assim foi possível conseguir um local adequado e disponível para o evento.

Depois de muito procurar, eles conseguiram encontrar uma local com 600 hectares de terras disponíveis, e sob a promessa de 50.000 pessoas (eles realmente acreditaram nisso?), adquiriram o lugar. Contudo, 150.000 ingressos foram vendidos. Sem contar que o evento foi divulgado de todas as formas pelo país, tendo por fim, por volta de 500.000 pessoas presentes.

• Hippies, mas nem tanto

Mas é claro que você ainda tem em mente que o festival foi um acontecimento que somente tinha por objetivo fazer reinar por três dias a paz, o amor e a liberdade de expressão (do corpo). É claro que na sua mente inocente Jimi Hendrix e Janis Joplin foram movidos apenas pela vontade de fazer um mundo melhor através da música. Mas eu sinto em lhe informar que isso também só aconteceu nos seus sonhos.

A maior parte dos artistas convidados -ou todos eles- se recusaram a tocar sem que houvesse uma boa remuneração.  Foi prometido a Jimi Hendrix, por exemplo, a pequena quantia de $26.000 por dia, o dobro do que qualquer outro cantor estaria ganhando pela apresentação.

E na segunda noite, uma mensagem foi enviada à Lang, que as maiores apresentações da noite (Janis Joplin, The Grateful Dead e The Who) não iriam se apresentar se não fossem pagos com antecedência. Se sentindo pressionado, Lang precisou ir às pressas ao banco para resolver a situação. E enquanto isso, 500.000 pessoas esperavam na platéia para a música começar a rolar.

• Higiene pra quê?

A higiene do festival era algo preocupante, tendo em vista de que a limpeza, a distribuição de água e comida estavam baseadas em 50.000 pessoas e que os produtores esconderam a diferença numérica até não poderem mais.

O resultado foi esse: 3 banheiros para cada 10.000 pessoas; tráfego extremamente intenso, com pessoas tendo que estacionar à muitos km de distância da fazenda; pessoas invadindo o local abruptamente (gerando os 500.000 presentes); artistas tendo que chegar de helicóptero; e, pasmem, toda a comida foi roubada. Sim, roubada, quando estava chegando à Woodstock, antes mesmo do seu inicio (Para resolver o problema foi necessário pedir para que os moradores doassem uns 750.000 sanduíches, se não fosse incômodo).

• As muitas mortes que Woodstock causou

Na verdade, apenas três mortes foram oficializadas. Alguém que teve o seu apêndice estourado (Mas quem precisa de um apêndice inteiro?), outro alguém que teve uma overdose de heroína e um adolescente de 17 anos que estava dormindo e foi acidentalmente atropelado por um trator.

Tiveram também outras ocorrências, é claro. Mas nada além de um arranhão ou um braço quebrado.

Mas seja sincero, se você tivesse a opção de morrer sentado na sua cadeira de balanço entediante ou após viver, apesar de todas as dificuldades que você passou, os melhores três dias da sua vida em Woodstock. Qual você escolheria?

Por: MayLee – @mahdono

Anúncios

Publicado em 6 de agosto de 2011, em Especiais, May Lee e marcado como , , , . Adicione o link aos favoritos. 12 Comentários.

  1. eu escolheria viver os melhores 3 dias em woodstock!
    Quem ali estava preocupado em numeros? de 75 pra 500..
    ou com todos os pontos negativos que vc comentou? Entre tudo o que poderia dar errado, acabou tudo certo.
    havia liberdade, uma certa inocência, havia sim paz!
    foi e será um festival inesquecível… e nao se compara com festivais
    cheios de violência q existe hoje em dia… hoje aquilo nao seria possivel!
    foi uma década linda! com lembranças lindas! com milhares de pessoas
    super felizes por terem vivido aquilo e ter tantas histórias pra contar aos
    seus netos!.. é só procurar que você verá muitos depoimentos de pessoas q ainda vivem e estiveram lá! se eu pudesse voltar e viver naquela época seria eternamente feliz!
    😉

    obs: é óbvio q os artistas iriam querer receber pelo show,mesmo q antecipadamente..dãr!

  2. E só p constar, a maioria hoje em dia q realmente pesquisou pra saber de woodstock com certeza ja sabe dos ‘5 pecados imperdoáveis’ que vc citou ai! 😀
    😉

  3. mas eu imagino q o belo festival serviu de alvo, pra vc treinaar seus dotinhos ‘jornalisticos’…só acho q assim como eu estou postando aqui, vc só perdeu seu tempo falando tanta bobagem! hauahah

  4. Eu não concordo com vc, acho q o woodstock foi o melhor festival de todos os tempos, queria eu que as raves que eu frequento fossem todas assim. Meus avós não participaram mas até hj falam que se pudessem voltar ao passado teriam ido d qq jeito, eu msm digo que nasci na época errada! Imagina que lindo, Janis Joplin tocando ali pra toda aquela gente! E oq faz o woodstock ser tão comentado com certeza ñ são esses 5 detalhes e sim as milhares de pessoas que estavam ali com o msm propósito, a paz, o amor e a liberdade o resto como eu disse são meros detalhes!!!

  5. Deixa de ser idiota,Foi o melhor acomtecimento da historia do rock justamente por causa desses detalhes.nao houve planejamento e justamente por isso houve a surpresa d q tudo deu serto e ninguem tem culpa se alguem usou drogas ate morrer ele usou porq quis e eu te garanto q ele morreu muito feliz e q essa pessoa foi mais feliz q vc nessa sua vidinha miseravel.

  6. pra que tanta agressividade galera, o cara expôs um ponto de vista dele, são vcs querem paz? cheios de pré-conceitos e agressividades?? Fala sério, muito babaca essa atitude de vcs de escreverem na pg do cara algo malicioso e grosseiro sobre ele. Vão ler, estudar faz bem, crescer, engrandecer a alma…

  7. ponto de vista meio errado, comecei a ler e ja me deparei com um erro, os ingressos eram vendidos a 6$! procure os FATOS reais, depois fala sua teoria 🙂 beijão

  8. Bom… não estou aqui para defender ou acusar quem quer que seja e o que quer que seja. Apenas imagino que, um evento desta natureza e porte, num momento em que soavam e reinavam consequências das guerras, num universo extremamente capitalista, carente de paz e amor (até hoje carecemos) e, embora com pensamentos contrários ao capitalismos e atitudes nem tanto, são atos naturalmente humanos (confusos ao seres humanos que aquilo viveram ou não), todavia, imagino também, que, em três míseros dias, aqueles homens e mulheres desfrutaram de uma oportunidade ímpar (e única). Drogas, paz, amor, nudismo, misturados à fome, à multidão, ao lixo, à falta de higiêne, à desorganização, blah-blah-blah… foram naqueles três dias, problemas ínfimos, certamente, frente ao pensamento coletivo que buscava ser o mais humano possível, como o foi, de fato, mesmo meio à toda contrariedade, todavia, caros irmãos, os homens ainda precisam alimentar o espírito de muito daquilo, para aprender a ser realmente humano, acima da grana, afinal, um dos maiores ensinamentos, morremos todos e sequer nossos corpos levamos. No fundo, no fundo, há algo mais além e superior aos nossos estúpidos atos e ignorâncias, que, com aquele exclusivo evento, alcançaram, digamos, ao menos um pouquinho, em três míseros dias, mesclando sonho (utopia) e realidade. Certo é que: “Nós não viemos do nada, para o nada!” (Li isso certa vez, em algum lugar. E tal afirmativa é esplêndiosamente grande). Valeram sim, muito, aqueles três (des)pretensiosos dias, tão humanos como somos ainda hoje, na presente atualidade. Enfim, temos muito o que aprender ainda… Obrigado ao autor do texto deste blog por fazer-nos lembrar!
    À PARTE: Desculpe-me pelo meu português e suas falhas, mas acho que nem isso é tão importante para todos nós que precisamos aprender muito além disso também.

  9. Que falta de ter o que fazer, essas 5 coisas “abomináveis” que você citou é algo pra lá de sabido de todos.
    Você queria que artistas com Hendrix e Joplin tocasse de graça? Quanto está um show do Roberto Carlos hoje?
    E eu tenho certeza que se um rockeiro de verdade ler sua pergunta vai com certeza responder, EU PREFIRO SIM, VIVER OS 3 MELHORES DIAS DA MINHA VIDA EM WOODSYOCK!

  10. Vejam. O assunto é interessante. Woodstock tem seu peso, ainda.
    Mas é importante confrontar as ideias, para assim, melhor entender seu verdadeiro ideal.
    Quem sabe, até, nos reunir, agora, rediscutindo-o.
    Ademais, é sempre bom lembrar que este Festival, na realidade, ainda não acabou. E, nós, aqui juntos, prova isto.

    Abraço a todos.

  11. Me lembrei e voltei para registrar.
    Gostaria de lembrar a todos sobre a Morte do Joe Cocker em 22/12/14. Já que todos os comentários são de 2012.
    A canção que “o imortalizou no Festival – WITH A LITLE HELP FOR MY FRIENDS era dos Beatles. E os próprios reconheceram a supremazia desta apresentação.
    Alegro-me, em parte, em informa-los. E assim, também deixar nossas homenagens a Cocker, que agora se foi.

    . Feliz Natal a todos.

    Para mim Woodstock continuará sendo cultura.
    “Quando te perguntarem: QUEM É, DE ONDE VEIO e PARA ONDE VAIS, WOODSTOCK poderá ajudar responder.

    Forte abraço

  12. Quanta bobagem!

    Meio milhão de pessoas e nenhuma briga relevante.
    Centenas de garotas nuas e nenhuma ocorrência de abuso sexual.
    Apenas 2 mortes registradas (e não 3) o atropelamento pelo trator e uma overdose de heroína.

    Foram MEIO milhão de pessoas. Mais do que grandes cidades e um indice baixíssimo de ocorrências.

    Foi a ultima experiência de convivência pacifica relevante.

    Depois disso, muito mimimi, muito politicamente correto, muito discurso pra um mundo cada vez mais intolerante e violento.

Gostou? Então Comenta Aqui!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: